Tudo o que você precisa saber para passar no Concurso Polícia Federal Agente Administrativo

Uma material super especial para você aprender como passar  no concurso da polícia federal para agente administrativo está aqui no Resumo Dicas.

Um review detalhado deste concurso e as principais dicas para você se dar bem nas provas e passar com facilidade em um concurso muito disputado e com ótimo salário que o concurso PF 2014.

Dicas Infalíveis para passar na Polícia Federal 2014

Ao longo de todo período de elaboração do concurso da área administrativa da Polícia Federal, a informação da Coordenação de Recrutamento e Seleção do órgão (Corec) era a de que a maior referência para a nova seleção seria o último concurso promovido pelo departamento para o setor. E para o cargo de agente administrativo, de forma geral, as disciplinas cobradas há quase dez anos, de fato, estão presentes no edital divulgado no último dia 21. Mas na avaliação do especialista em concursos Paulo Estrella, diretor pedagógico do curso Academia do Concurso, o conteúdo sofreu uma atualização muito grande. “Que vinha muito diferente de 2004, por mais que a PF dissesse que seria a referência, a gente já sabia”, afirmou.

Estrella citou como exemplo a parte relacionada a Direito Administrativo. “No concurso de 2004, Direito Administrativo era só serviço público. Houve uma extensão. Quem estudou olhando só para aquele concurso não estudou na complexidade que está sendo exigida agora”, observou. Para ele, o programa se aproximou mais do que foi exigido no concurso para agente administrativo da Polícia Rodoviária Federal (PRF), realizado no ano passado e que vinha sendo indicado por diversos especialistas como uma alternativa para os estudos.

Polícia Federal 2014

A saída de Direito do Consumidor, que figurou no programa de 2004, foi apontada como uma surpresa pelo diretor da Academia do Concurso. Ele afirmou, no entanto, que a maior delas foi a inclusão de Legislação Aplicada à PF, aproximando a seleção dos concursos para policial federal. “O agente administrativo toca a papelada interna. Ele não toma decisão nenhuma para ser obrigado a conhecer tanto essas leis. Mas tudo bem, foi a decisão do órgão”, criticou Paulo Estrella.

Apesar do conteúdo extenso cobrado para o cargo, o especialista afirmou que, para quem já vinha estudando conforme a orientação da Corec, os quase três meses até a realização das provas serão mais do que suficientes para absorver os conteúdos revelados com a divulgação do edital, apesar da complexidade apontada por ele.

Já para aqueles que iniciaram ou irão iniciar a preparação somente agora, após a divulgação do edital, o desafio será maior. “Se a pessoa já vem de outro concurso ela está anos-luz na frente. Quem está saindo do zero, que nunca fez concurso nenhum, vai ser um trabalho extenuante. Ele vai ter que se esforçar, se organizar, porque tem um volume bastante grande de conteúdo”, alertou Estrella.

Ele ressaltou ainda o fato da banca ser o Cespe/UnB. “O Cespe demanda um bom treinamento, conhecer questões de provas anteriores, para garantir uma boa interpretação na hora da prova. Não é uma banca simples de fazer a prova, ela não facilita a vida de iniciante. Mas, de qualquer forma, há tempo. Vai depender do que o candidato já domina e da garra dele para se preparar nesses três meses. Até porque não são muitas vagas.”

Outro desafio será conciliar os estudos com o período festivo de fim de ano e das férias de verão, no caso daqueles que estão cursando o nível superior ou até mesmo concluindo o ensino médio. Será um momento em que o candidato terá que decidir a que está disposto a renunciar em prol da aprovação. “O candidato vai ter que avaliar qual é o peso que esse concurso tem na vida dele e se dedicar proporcionalmente a essa importância.”

Gostou do artigo? Ajude-nos clicando em + 1  


Facebook

Deixe um Comentário

23 consultas em 7,336 segundos.